sábado, 12 junho, 2021
Início Notícias Destaques Após mãe ser vacinada, bebê nasce com anticorpos contra a Covid-19 em...

Após mãe ser vacinada, bebê nasce com anticorpos contra a Covid-19 em Santa Catarina

TUBARÃO – Com apenas 40 dias de vida, o Enrico já está imunizado contra a Covid-19. A mãe dele, Talita Menegali, atua na linha de frente contra o coronavírus em um posto de saúde no município de Tubarão, em Santa Catarina, e foi vacinada com as duas doses da CoronaVac. Após uma decisão compartilhada com o obstetra, a médica recebeu a primeira dose do imunizante ainda com 34 semanas de gestação. “Na verdade, a vacinação era mais para a minha imunidade, para imunizar primeiro a mãe e aí tomamos a primeira dose em 23 de fevereiro, quando tomei a CoronaVac, que é vírus inativo, não tive nenhum efeito colateral, nenhuma reação, e o bebê também já estava formado”, relata Talita. Depois do nascimento do Enrico, foram coletadas amostras de sangue e realizado o teste de anticorpo neutralizante. Seis dias depois veio o resultado positivo, confirmando a imunidade. Para o pai, Murilo Corrêa, a notícia também trouxe alívio.

Talita Menegali destacou ainda que está em aleitamento materno exclusivo e que isso possibilitará ainda mais a transmissão dos anticorpos; Foto – divulgação.

“Toda criança que nasce traz uma esperança e para ele é uma esperança dobrada, porque também é uma esperança que tudo vai voltar à normalidade. Quando nasce um bebê todos querem ver, abraçar, pegar no colo e estávamos apreensivos porque a gente pensava como isso vai acontecer em meio à pandemia”, disse. O médico infectologista, Renato Kfouri, ressalta que o caso deve servir como um incentivo para que as grávidas não deixem de se vacinar. “Para a maioria das doenças, a infecção adquirida durante  gestação transfere aqueles anticorpos que a mãe produz para o bebê através do cordão umbilical. Com as vacinas não são diferentes, esse processo acaba se repetindo.

LEIA MAIS – Governo de MT consegue autorização para vacinar profissionais da Educação

Já haviam várias demonstrações que os bebês nascem com os anticorpos das mães quando elas são vacinas ou adoecem e já há estudos sobre a detecção no leite materno, é uma boa notícia. Certamente vacinar a gestante é mais um benefício que essa imunização traz”, relata. Talita ainda não sabe até quando o filho estará protegido contra a doença, mas fará novos exames com três e seis meses para saber se Enrico continua imunizado. A médica destacou ainda que está em aleitamento materno exclusivo e que isso possibilitará ainda mais a transmissão dos anticorpos.

Por Jovem Pan.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.