segunda-feira, 22 julho, 2024
17.2 C
Canarana
Início Futilidade do Dia FUTILIDADE DO DIA: Putsch da Cervejaria

FUTILIDADE DO DIA: Putsch da Cervejaria

O Putsch da Cervejaria ou Putsch de Munique foi uma tentativa desastrosa de golpe de Adolf Hitler e do Partido Nazista contra o governo da região alemã da Baviera, ocorrido em 9 de novembro de 1923. O objetivo de Hitler era tomar o poder do governo bávaro. A ação foi controlada pela polícia bávara, sendo que Hitler e vários correligionários – dentre eles Rudolf Hess – foram presos.

Foto: Wikipédia

A expressão “Putsch (golpe em alemão) da Cervejaria” originou-se da ação urdida na cervejaria Burgebräukeller, uma das mais famosas cervejarias de Munique. Na refrega com as forças da ordem, 16 nazistas foram mortos. A propaganda nazista transformou esses mortos, posteriormente, em heróis da causa nacional-socialista.

A capital da Baviera – Munique –  à época gozava de certa autonomia política. O objetivo era imitar a famosa ”Marcha sobre Roma” de Benito Mussolini. O golpe, frustrado, não impediu que Hitler e Ludendorff conseguissem apoio de Gustav von Kahr, político de grande força na Baviera (“o governador de fato”) e de várias personalidades de destaque do exército alemão e da autoridade policial. O objetivo era a formação de um novo governo.

Em 8 de novembro de 1923, Gustav von Kahr e alguns oficiais recuaram na sua posição e negaram apoio a Hitler em seu intento. Hitler, surpreendido, mandou detê-los, ao mesmo tempo que decidiu prosseguir com o golpe de estado. Kahr e os outros foram libertos por ordem de Ludendorff, sem conhecimento de Hitler, mas sob o compromisso de não interferirem. Entretanto realizaram esforços para frustrar o golpe. De manhã, enquanto os nazistas marchavam da cervejaria até à sede do Ministério de Guerra Bávaro para derrubar o governo, o exército procedeu rapidamente à sua dispersão. Ludendorff ficou ferido e vários Nazistas foram mortos.

Hitler fugiu e pensou em suicidar-se. Foi preso por alta traição e, temendo que alguns membros “esquerdistas” do partido pudessem tentar apoderar-se da liderança durante a sua prisão, nomeou Alfred Rosenberg e, depois, Gregor Strasser como líderes temporários do partido.

Encontrou, durante a sua prisão, um ambiente receptivo às suas idéias. Seu julgamento, em abril de 1924, transformou sua derrota numa proeza de propaganda, graças ao beneplácito dos juízes, tendo-lhe sido concedida a chance de se defender sem restrições de tempo, perante o tribunal e um vasto público, atento e receptivo ao seu discurso de forte viés nacionalista. Foi condenado a cinco anos de prisão na prisão de Landsberg, pelo crime de conspiração com intuito de traição. Na prisão, em que permaneceu por apenas 09 meses, recebeu tratamento preferencial; recebia cartas de simpatizantes e escreveu seu manifesto político, Mein Kampf.

Ao deixar a prisão havia decidido trilhar seu caminho ao poder pela via legal. É a ele atribuída a famosa frase (“A democracia deve ser destruída por suas próprias forças”), Hitler alcançaria seu objetivo em pouco menos de 10 anos.

Por JornalGGn.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.