domingo, 1 outubro, 2023
Início Notícias Destaques Pescadora esportiva afirma: “Se há preservação, todo mundo é beneficiado”

Pescadora esportiva afirma: “Se há preservação, todo mundo é beneficiado”

    A pescadora esportiva Tanilla Moura, do Estado de Goiás, afirmou que a proposta do Governo de Mato Grosso que prevê o combate à pesca predatória nos rios estaduais pelo período de cinco anos, por meio da proibição do transporte, da comercialização e do armazenamento de peixes, vai incentivar o turismo.

    Tanilla ressaltou que a proposta, parecida com o que já é aplicado em Goiás, também vai beneficiar toda a população com desenvolvimento econômico.

    Pescadora esportiva de Goiás, Tanilla Moura ressaltou que a proposta de MT vai gerar desenvolvimento econômico
    Crédito – Arquivo Pessoal/Instagram

    “Nós entendemos que a preservação é o primeiro passo para o crescimento da pesca esportiva no país, e sabemos que esse setor movimenta mais de 50 segmentos da economia. Então, se há preservação, todo mundo é beneficiado, desde o comércio em geral até os ribeirinhos que vivem exclusivamente da pesca. Peixe vivo vale mais”, afirmou.

    Em Goiás, a proibição de transporte de peixes foi instituída em 2013, a fim de combater a pesca predatória, garantir a preservação das espécies e incentivar a pesca esportiva. Dez anos depois, o Estado é uma das referências no segmento.

    Em Mato Grosso, o projeto Transporte Zero foi encaminhado para a Assembleia Legislativa no dia 31 de maio e aprovado em primeira votação na última sexta-feira (02.06). O texto é baseado em um relatório contratado pela Assembleia, em 2021, e considera a redução do estoque pesqueiro do Estado, que coloca em risco várias espécies nativas de Mato Grosso e estados vizinhos.

    Além de preservar o estoque pesqueiro, a proposta favorece o desenvolvimento econômico de 45 municípios que apresentam potencial para o turismo de pesca.

    A proposta de Mato Grosso prevê um pagamento de auxílio financeiro para pescadores profissionais e artesanais, pelo período de três anos. Os pescadores também serão recadastrados, por meio de Registro Estadual, e receberão qualificação em programas da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania para o turismo ecológico e pesqueiro e de produção sustentável da aquicultura.

    Por Camilla Zeni | Secom-MT.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.