terça-feira, 27 julho, 2021
Início Notícias Destaques Obras do contorno da BR-158 devem iniciar esse ano, afirma superintendente do...

Obras do contorno da BR-158 devem iniciar esse ano, afirma superintendente do Dnit

CUIABÁ – As equipes do OPioneiro e da TVCI estiveram semana passada em Cuiabá, onde entrevistaram o superintende do Dnit no Mato Grosso. Antonio Gabriel Oliveira dos Santos falou sobre a BR-158, a mais importante rodovia federal que cruza o Vale do Araguaia e que está inconclusa na região do Norte Araguaia, onde corta a Terra Indígena Marãiwatsédé.

Antonio Gabriel, superintendente do Dnit no MT; Foto – OP.

Conforme explicou Antonio Gabriel, o contorno tem pouco mais de 200 km. Após o Alô Brasil, passa por Bom Jesus do Araguaia, Serra Nova Dourada, Alto Boa Vista e retorna à BR-158 próximo do Posto do Luizinho. O contorno está dividido em dois lotes. O primeiro, a partir do Alô Brasil, tem 93 km. Para o primeiro lote já foi contratada a empresa que fará o projeto e executará a obra. Para o segundo trecho, ainda precisa ser licitada a contratação da empresa. “A gente está trabalhando para que no Lote A, as obras iniciem no segundo semestre desse ano”, disse.

LEIA MAIS – MPF consegue na Justiça que trecho da BR-158 que intercepta a TI Marãiwatsédé seja fechado

LEIA MAIS – Governo quer conceder BR-158 entre Cascalheira e Pará para a iniciativa privada

LEIA MAIS – Ministro diz que asfalto não será construído na BR-158 por falta de licença

Quando o contorno estiver pronto, por determinação da justiça, o traçado original da BR-158, que corta a Terra Indígena, terá de ser fechado. Porém, a TI ocupa os dois lados da estrada em apenas alguns pontos. Na maioria, a Marãiwatsédé fica de um lado e, na outra margem, há fazendas. “Então, nesse sentido, isso terá que ser revisto com o Poder Judiciário, porque senão essas fazendas não terão acesso”, explicou o superintendente.

Em entrevista exclusiva com o governado do Mato Grosso, Mauro Mendes disse para a reportagem que, para ele, a BR-158 deveria continuar pelo traçado original, pois o contorno encarece a obra. “Eu acho que deveria ter enfrentado esse problema ambiental, porque é um absurdo, vai aumentar muito o trajeto… que vai encarecer a obra. O Brasil não tem dinheiro pra fazer esses luxos aí não gente. Essa estrada estava lá há mais de 100 anos. Isso é um hipocrisia, desculpa dizer”, comentou.

Assista a íntegra da entrevista exclusiva com o governador:

Por OPioneiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.